Poético e trágico

A luz e a escuridão fazem parte de nossa existência. São fenômenos naturais que influenciam o nosso dia a dia. Mas, muito mais do que isso, a luz e a escuridão são limites e possibilidades humanas.

Adoro olhar para o pôr do sol e contemplar o anoitecer. Em outras línguas, como em holandês, não existe o verbo “anoitecer”. Existe a expressão  “tornar-se noite”. Porém, esta expressão é usada na voz passiva. Neste sentido, a noite, a escuridão não tem o papel principal. É o dia que se torna noite, a luz que se torna escuridão. Da mesma forma, contudo, não há em holandês o verbo “amanhecer” e sim “tornar-se dia”. Desta vez a noite ganha o papel principal. É a escuridão que se torna luz, a noite que se torna dia. Interessante: se por um lado o dia e a luz trazem em si a possibilidade da noite e da escuridão, por outro lado a noite e a escuridão trazem em si a possibilidade do dia e da luz.

Estas formas de significar os momentos da vida, tornam visíveis um ser humano vulnerável, inconstante e harmônico em relação à luz e à escuridão. Noite e dia, escuridão e luz são expressões da linguagem mais íntima que significam vida e morte, bem e mal.

Em holandês também existem as expressões “cair da noite” e “cair do dia”, muito significativas em português e acentuam o aspecto ‘de repente’ da escuridão e da luz. Ninguém espera, ninguém nota e elas se aproximam. De repente é noite. De repente é dia. Foge às capacidades humanas determinar quando, onde e o porquê da luz e da escuridão em sua existência. Lembrem-se do livro de Jó.

Surpreendente que, em português, temos estes dois verbos “anoitecer” e “amanhecer”. Anoitecer é o mesmo que fazer-se noite, ofuscar, escurecer; enquanto amanhecer é o mesmo que fazer-se dia, raiar, alvorecer.

Soa-me poético, mas ao mesmo tempo tão trágico, quando eu uso estes dois verbos. Poético porque me faz lembrar dos momentos felizes em casa, de companhia e diversão, de alegria e festa. Trágico porque me recorda fragmentação, fraqueza, incerteza e dor. O amanhecer e o anoitecer como momentos limites em minha vida. Dois símbolos da minha profundeza. Em alguns momentos, o amanhecer e o anoitecer trazem a esperança e a visibilidade. A luz e a escuridão em harmonia. Mas, em outras horas da vida eles significam perda e sofrimento, fugacidade e queda. A luz e a escuridão em desarmonia.

Todos nós carregamos em nosso ser mais profundo luz e escuridão. Temos limites e possibilidades. O que fazemos com eles, como os manejamos é uma questão determinante.

Ronaldo Sérgio

Anúncios

2 comentários em “Poético e trágico

  1. Meu irmão muito profunda esta sua reflexão retrata fielmente a nossa vida! Em especial a minha neste meu caminhar!

    Enviado via iPhone

    >

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s