Pedaços espalhados!

Nem sei dizer o que mais me incomoda agora:
se o fato de estar só ou de pensar só.

Deixar que o dia de amanhã seja apenas o dia de amanhã
e não tentar manipular os fatos que virão
é viver por inteiro cada momento:
e não deixar que seja uma ilusão.

Não nascemos por inteiro e nem morremos por inteiro.
Somos um intervalo do ser.
Somos pedaços espalhados
Somos um corpo de fagulhas sensíveis:
Alma, carne e espírito.

Embora a mente e o espírito possam esquecer o que passou,
o corpo não esquecerá nunca.

Nem sei dizer o que mais me incomoda agora:
se o fato de tentar dizer tudo ou de esconder os desenhos.

Daqui a pouco vou me deitar
mas não sei se vou dormir logo.
O logo não existe, às vezes,
o logo é um minuto a menos
nos traços dos momentos que fazem palpitar o coração.

Claro que nem todos tem consciência
de estarem pendurados na história dos outros.

Basta uma palavra, um gesto ou um sentimento
e eles caem como num abismo;
Pois tudo era provisório em suas vidas.

Quase ninguém consegue amar por tot eternidade.
Só Deus.

Viver é uma pressão interna que faz a gente gemer
e respirar e respirar até o dia em que tudo pára.

 Ronaldo Sérgio

Anúncios
Esta entrada foi postada em Poesias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s