Nos bares da vida!

B. tinha o olhar distante e o sentimento estranho. Faltava-lhe algo, mas era incapaz de se agarrar à luz que lhe sobrava do sol. Em plena claridade não sabia o que era. Tinha medo. Era fraco como todo ser humano. Fraco demais e não saberia lidar com os inesperados da vida. Após um dia de trabalhos pesados, sentou-se no bar para tomar uma bebida forte. Como sempre fazia, estava totalmente silencioso. Naquele dia não havia ninguém no bar, senão o dono.

O dono do bar era um conhecido seu de longa data e sabia exatamente o que ele pediria, quais assuntos falaria, como ele se sentaria no tamborete, como pegaria no copo lavrado e como degustaria a pinga. Nada de extraordinário ou de misterioso. Nada de profundidade e tudo muito normal. B vivia na rasura da existência. E o dono do bar não via ninguém à sua frente, apenas B..

Às vezes e de muitos modos, vivemos assim, apenas na rasura do que somos. Acostumamo-nos com as pessoas e as coisas e nos relacionamos à partir das aparências. Tornamo-nos mesquinhos e inconscientes dos valores profundos e da força das virtudes.

Viver neste mundo consiste em se abrir ao inesperado e estar pronto para as profundidades. A rasura com que vivemos nossos dias, com as coisas ou com as pessoas, é uma questão de mentalidade. O ser humano tem a tendência de coisificar a natureza e as pessoas. Quando fazemos isto, passamos a viver apenas com e dos seus atributos externos. Mas, atributos não são os seres da natureza e nem as pessoas.

B. é mais do que os atributos que ele tem. Ele é alguém com mistérios, amores, esperanças, medos, angústias e alegrias. B. é alguém diante de mim. Ele não está à mão como uma coisa. Ele me escapa, é um mistério, um outro.

Viver é se deparar com o inesperado: o outro. É ver o que você ainda não viu ou o que nem gostaria de ver. Estar pronto para viver com o outro é um grande exercício. Pressupõe amor, esperança e fé. Sem isso, permanecemos nas rasuras e na coisificação.

Ronaldo Sérgio

Anúncios

2 comentários em “Nos bares da vida!

  1. Telma Viana Kotzebue disse:

    Bom dia Ronaldo. Desejo a voc e sua famlia, um 2014 bem bacana. Gostei do artigo. Faz tempo que no via ou ouvia a palavra TAMBORETE. Muito obrigada pela mensagem. At qualquer momento. Um abrao. Telma

    Date: Tue, 31 Dec 2013 19:19:28 +0000 To: telmavk@hotmail.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s