Bem-te-vi!

Vi no meio do caminho,
pisando o asfalto quente,
olhando assustado ao longe,
um pássaro fora do ninho.
Sôfrego com a sofrida fome,
desfigurado e sem nome,
procurava uns grãozinhos.

Apressado com passos ligeiros,
corria saltitando em busca,
vivendo a tremenda luta,
quase que o dia inteiro.
De pedras era a selva muda,
deserta e com noite escura,
vivia preso neste viveiro.

Vê-lo era belo e forte,
catando bichinhos no asfalto,
fugindo de sobressalto
dos carros e da própria morte.
Vivendo sempre um percalço,
parecia como um arauto
dos tempos da sofrida sorte.

O nome descrevia a dor,
a dureza que furtava a vida,
o pavor da inútil lida
de um pássaro caçador,
que sem bosque e sem comida,
das almas era a mais sofrida.
Era um Bem-te-vi cantor.

Ronaldo Sérgio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s