Minha cuia!

Foto do google.

Foto do google.

Remendar os fatos não posso.
Por vezes, em minha cuia,
coloco os maus trechos ali dentro
e despejo tudo lá fora no mato.
Coisa ruim deve ser jogada fora.

Volto pra casa mais aliviado
com minha cuia vazia,
com minha alma liberta do susto,
dos tormentos dos fatos estripados
sujando a minha cozinha,
a minha sala, o meu quarto e o meu coração.

Reservo um lugar no armário pra minha cuia,
serrada com dor, a cabaça inteira,
esvaziada as entranhas do antanho amargor
de molho por dias e noites,
até ficar limpa.

Todos os dias, minha cuia está cheia e vazia,
o mato que o diga
minha alma que o diga,
Remendar os fatos não posso.
Apenas jogo fora o que não presta.
E aprendo o que apreendo
como a cuia que fiz
como o que fiz com a cuia.

Ronaldo Sérgio

Anúncios

8 comentários em “Minha cuia!

  1. jomabastos disse:

    Difícil é sorrir com a nossa tristeza.
    É verdade, todos os dias temos deixar de lado todas as negatividades, mas não podemos esquecê-las como conhecimento.

    Excelente poema!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Às vezes falta cuia, ou espaço nela. Muito legal o poema!

    Curtido por 2 pessoas

  3. Gostei muito dos versos! Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Nara Susane Klein disse:

    Belo poema reflexivo! É preciso jogar fora o que não presta, pra não saturar a cuia, não é mesmo!? Só assim, para mantermos nossas mentes mais leves…
    Adorei seu blog, Ronaldo! Poemas maravilhosos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s