Tudo é mundo

Conto23

Salvador Dali – O sonho

Depois de Freud toda interpretação dos sonhos acaba tendo um sabor psicanalítico. Os desejos, geralmente relacionados à sexualidade e incubados no inconsciente, vêm a tona como manifestações noturnas. As razões são simples. Enquanto dormimos nosso consciente também adormece perdendo forças e deixando brechas para o grito das enormes energias inconscientes.
Um desses gritos ouvi a noite passada. Não foi nem suave e nem medonho. Foi estranho apenas. Sonhei com os sons da terra, com as brincadeiras de deus, com as pessoas amarradas a um cordão sendo desenhadas pelo vento. Sonhei com os desejos dos bichos, com a alma das plantas e o cheiro dos riachos correndo entre as pedras. Sonhei com o beijo entre os povos, com o perfume da lua e o abraço dos céus. Sonhei com lugares longínquos rasgando meu peito e me enchendo de dor, com a pobreza e a fartura de vida, com o riso e o choro, com o sopro do agora que já se foi.
Sonhei com as janelas abertas, sem grades e alarmes, com as pedras quebradas dos corações e com a loucura inocente do amanhã. Sonhei com o fogo ardente, com o fim do dinheiro, da compra e da venda, com as mãos calejadas, o suor e o cansaço da alma órfã. Sonhei com a ciranda dos poderosos dançando descalços no terreiro de chão, com a beleza das rosas, com o canto das pétalas escorrendo entre os dedos e morrendo com o sol. Sonhei com a fuga dos anjos das imagens de gesso, com santos filhotes ainda indefesos, com o ninho da vida, com a morte e o mal. Sonhei com porteiras antigas de estradas de terra, com a força da lentidão, com o amor que espera olhando da janela seu bem fazer a curva e não voltar com o pão.
Sonhei com o abraço das pedras, com rodovias destruídas, com o canto das máquinas e o ruído dos corações, com gente insatisfeita sofrendo a delícia de sempre querer algo em vão. Sonhei com a luta divina pra sair das igrejas, dos templos de tejolos e cimento, frios e sem vida, lotados de gente vazia por dentro. Sonhei com rezas e preces sufocando a deus, com o direito divino de ter o que tem e de ser o que é, com sermões obscenos desnudando o céu. Sonhei com a chuva, a goteira em casa, com os sons da brisa e o orvalho da manhã, com pais separados, pais ajuntados, filhos trincados, sofrimento e dor.
Sonhei com os buracos na alma, com os desejos sem nome, com as horas que passam e passam e passam. Acordei com o grito e pensei em ti. Talvez o mesmo grito te acorde e veja, como vi, que fora de nós tudo é mundo. Mas dentro de nós a fartura de alma é tão grande que se derrama em sonhos.

Ronaldo Sérgio

Anúncios

8 comentários em “Tudo é mundo

  1. Chronosfer disse:

    Belo texto, Ronaldo, profundo, que fecha com a sensibilidade de Lennon. Abraço.

    Curtido por 3 pessoas

  2. mariel disse:

    Sonho que se sonha só é sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade. Acho que é Raul. Mas me junto aos teus sonhos

    Curtido por 1 pessoa

  3. vileite disse:

    Interessantíssimo! Belíssima música !

    Curtido por 1 pessoa

  4. jonathanmbruno disse:

    Perfeito! x 100000

    Curtir

  5. Pilgrim disse:

    I love this art work and have used it as well in my post.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s