Segure minha mão

Foto

– Não me deixe completar o ciclo do esquecimento. Segure minha mão. Vamos!

E saltaram juntos.

1942, lembrou-se. Estava na cozinha, toda corada, preparando o café. Era a sua primeira manhã em casa e sozinha com ele. Feliz ao vê-lo se aproximar trazendo seus chinelos azuis, pisando seguro e usando todo espaço que tinha, deu-lhe um beijo dizendo ‘bom dia, meu bem!’. Junho e o frio entrava pela janela semi-aberta.
O sol ainda fraco da manhã não esquentara o clima. Mesmo assim queriam passear. Dizer que estavam ali. Vivos. Casados para sempre. Vestiram-se bem agasalhados, aos toques sutis das mãos. O silêncio que, às vezes, cortava o balbuciar das palavras de afeto ainda não incomodava. Era o charme.

-Pronta?
-Sim, vamos.

Fecharam a porta. Deram-se as mãos. Olhares sorridentes. Pularam. O primeiro e o segundo.
A lentidão das coisas boas faz os anos passarem muito rápido. Dia após dia, os ritos e as surpresas vão se entrelaçando, como a beleza e o perfume das flores. Saiam quase sempre juntos de casa. Desciam as escadas sempre aos pulinhos e de mãos dadas, desde aquele primeiro dia.
Estivesse tudo bem em casa ou houvesse desentendimento entre eles, não importava. Aquele momento era tudo. O elo, a restauração do vínculo. A re-cordação do amor. A volta à fonte. O alforge das coisas boas da vida a dois. Os pulinhos nas escadas. De mãos dadas. Até os vizinhos conheciam a brincadeira. Anos e anos.

Mas naquela manhã, uma dor imensa comprimiu-lhe o peito. Chorou por dentro deixando as lágrimas caírem. Ele não estava mais ali ao seu lado.

Foto de Jale Elaj – Google+

Ronaldo Sérgio

Anúncios

18 comentários em “Segure minha mão

  1. Ann Silva disse:

    Belíssimo texto 👏👏👏 o li ao som de “Escolhi te Esperar”, da Marcela Tais, e achei que casou perfeitamente ❤

    Curtido por 2 pessoas

  2. histericaspontocom disse:

    Conforme fui lendo, um nozinho foi se formando na garganta!
    Texto lindo;

    Curtido por 2 pessoas

  3. Lindo texto, adorei. A cada frase conseguia ver o amor entre eles, o companheirismo a todo momento e é isso que todos buscamos nos relacionamentos, não é mesmo? Um final triste, que deu um nó na garganta, mas amei. Parabéns!! ❤️

    Curtido por 1 pessoa

  4. Ana Luisa disse:

    Pequenos momentos de rotina às vezes são tudo. Muito bonito!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Torci a cada momento, quando li o finalzinho triste, fiquei um pouco triste também .. 😀 Texto lindo, parabens, tocou o coração!

    Curtido por 1 pessoa

  6. KAMBAMI disse:

    Não sei se por pressentir, mas desde o início senti algo diferente, algo que mostraria a vida real, enfim…
    Eu continuaria a pular os degraus e daria as mãos ao imaginário, deixaria que meu Ser recriasse o cenário.
    Lindo e comovente, vivenciei isso a um ano com um grande amigo meu de São Paulo onde participei de suas bodas de ouro para seis meses depois voltar para chorar junto e conforta-lo.
    Vida, sempre segue e nós seguimos com ela.
    Mais uma vez parabéns pelo belo texto. 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  7. Painstakingly I let “online translator” translate this story – which touched me very much indeed! A beautiful picture too to go with this. Oh how I wish I could speak your language in order to really appreciate your beautiful writing, so ” muito bonito! ” Obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Lindo… Apreciando a cada texto, sua escrita ritmada e envolvente. Parabéns. Emocionantes!!!

    Curtido por 1 pessoa

  9. Very poetic. Love has many sides to it and you brought out several in your story. Well done!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s