À luz das lamparinas

Conto30

Viver à luz das lamparinas. Uma luz quente e firme, de um fogo que parece não se apagar. É mistério. Ao redor das chamas que não iluminam tudo. Que guardam as belezas da noite. É como ser luz e não ter luz. Flamas que são retratos. Frágeis como nós. Trazem consigo o essencial. Viver é na lentidão.

O pavio se queima. Nunca até o fim. A brisa da noite que o diga. Perfuma a sala, a cozinha, o quarto… nossa alma. Ali ao redor pode-se contar casos, ouvir histórias. As vozes estão mais livres do medo.

Sua luz vermelha nos conforta. Sua claridade misturada com a escuridão é o coração da casa. É de se ver. A lamparina traz a luz amiga da escuridão. O que nos assusta é a penumbra.

Sua luz tem cheiro. Dá fome na gente. Seu balanço dá sono. Dorme-se em paz. Sem medo do amanhã.

Com ela, o tempo parece estar tecido com fios sutis e eternos. A noite é noite. Somos o que somos. Não há fuga. Nem se prolonga o dia encurtando a noite. Sentado no banco brinca-se com caixinhas de fósforos. Ao redor da vida… vivendo.

 

Foto de todocauso

Ronaldo Sérgio

Anúncios

14 comentários em “À luz das lamparinas

  1. KAMBAMI disse:

    E como é bom a quem vivencia tal encanto…dá vontade de voltar ao tempo, mas ele não permite, me resta apenas sonhar com o que ainda existe. Dessa vez abusei um pouco, vi que havia na prateleira biscoitos de nata, mas deixei embrulhado sobre a mesa um bolinho de fubá que preparei para levar mais tarde no arraiá. Sinta-se a vontade e sirva-se. Abração! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. lurda55 disse:

    Muy chula tu canción. Saludos!!!.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Maria Cristina Finkie disse:

    Ronaldo,que linda essa poesia! Onde vc busca tanta inspiração? Obrigada por compartilhar comigo esta sua arte. Um abraço ________________________________________

    Curtido por 1 pessoa

  4. Tenho boas lembranças da lamparina na casa de vovó.
    Noites que nunca eram frias. Nem quentes. Eram coração. Um ninho de perfeição!

    Curtido por 2 pessoas

  5. Mônica Torres disse:

    Que beleza de lembranças a luz do texto me despertou.. chão de cimento queimado, tramelas nas portas e o silêncio do engenho… viajei para um tempo que cujas figuras das lembranças foram todas iluminadas por essas lamparinas. Que saudade..

    Curtido por 1 pessoa

  6. Zena Ribeiro disse:

    A lamparina me traz doces lembranças da casa da minha vó ;). Abraços

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s