Mãe

conto35

Gerar

Amaste-me mais que tudo
tecendo-me em teu ventre
Abraçaste-me com terna ventura
de amor eterno
sofrendo uma dor agreste
fazendo-me amar-te sempre.

Nascer

A dor que em mim doía
tremendo nos teus braços
era o desamparo d’alma
lenta e frágil
amparada em teu regaço

Crescer

Sentindo-te outra
resvalando em ti meu corpo
entre afagos e afetos
deixaste sentir-me um outro
entranhando n’alma
seus toques de amor, oh mãe.

Cuidar

Os trechos que mais chorava
era a dor da solidão
destronada dos cuidados
desejando mover mundos
pra tirar minha aflição
curava-me ver-te assim
entre mimos amando-me.

Morrer

O tempo da vida é o corpo
sem hora é a alma
cicatrizada de amor
afigurando o eterno
no peito meu que ficou
seu amor é meu amor,
pra sempre.

Foto de Pinterest
Poema: Ronaldo Sérgio

Do amor e outros demônios

3.08.2016 - 1 (1)

Poema inspirado no romance de Gabriel Garcia Márquez: Do amor e outros demônios.

Arrancaram de seu olhar
aos gracejos de sua voz
seu sorriso e o sol.

Tiraram-na do mundo
e numa cela imunda
tecia os dias recortando o céu.

Quem dera fossem diabos
os pensamentos teus
tuas palavras roucas.

Ver-te em minha alma
Chorosa e dorida
presa da fé estúpida
que outros cultivam
dá vontade de gritar e te recolher.

Torceria o fim
para te ver salva
mas o que me aguarda
é ler-te em mim desfalecida

Pelo mal de deus
carregando cruzes
santos brutalhados
foste enorme a dor
hoje a minha dor
é ver a morte sua.

Resenha muito boa em PDF Do amor e outros demônios. Gabriel Garcia Márquez

Foto de Jali Elaj

Ronaldo Sérgio

Lascas de um dia

Novo5

__ Perdoe-me! Meus olhos estão pesados. Minha fronte dói. Sinto um vazio lá fora. O que me move por dentro se cala. Restam-me lascas de um dia difícil. Preciso dormir. Boa noite!

Tocou-lhe o peito, aproximando seu corpo ao dele. Debaixo dos lençóis. Deu-lhe um beijo.

__ Eu sei meu amor. Boa noite, durma bem!

Caíram no sono.

Foto de photobucket
Ronaldo Sérgio

 

 

Pétalas do anoitecer

29.05.2016 - 1

 

Somente um dia. Deixe-me tentar. Apenas um dia. Dê-me um beijo e venha espalhar comigo essas pétalas.

Saíram…

À tardinha tudo é bem diferente. O amor anoitece. Belo e terno. Mas não dorme. Ama-se com a fibra do sol se pondo. Fica querendo deixar rastros. E deixa… sempre deixa.
Espalharam pétalas na entrada de casa. Brancas, vermelhas, amarelas, pequeninas e grandes. Eram lindas. Deixaram suas mão perfumadas. O olhar bonito. O coração aquecido.

Olharam-se.
__ Venha sentar-se, meu amor!

Esperavam. Com o cheiro doce e temperado do anoitecer ainda criança. A comida pronta e mesa feita. Eram seus amigos. Viriam para o jantar. Naquela noite. As pétalas brilhavam com a luz da varanda.

Viram… se olharam…
__ Nossa, que lindo!
__ Sempre cheios de carinho!

Nem bateram à porta. Já estava aberta. Tinham ouvido o barulho. Sentido o tempo deles. E ido ao seu encontro. Abraçaram-se… sobre as pétalas. Entraram…

Foto de Jale Elaj
Ronaldo Sérgio

Pescador

Conto25

O sopro do vento,
do barco o balanço.
A força do braço
abraça e acalenta.
A rede ligeira
obreira e sedenta,
de sonhos pesqueira,
caindo no mar.

O adorno do remo,
da vida o marejo
o ardente desejo
bordeja em ti.
A alma se enverga
e enxerga em si
o barco, navega
os rumos do mar.

O cheiro da tarde,
do fruto o aroma,
arromba e toma
o ser pescador.
remando pra casa,
abrasa o amor,
e o beijo da amada
longe do mar.

Foto de David Lazar: clique aqui

Ronaldo Sérgio

Com Deus dançar ciranda!

Lutava comigo mesmo, hoje de manhã. Fiquei com muito receio em publicar esta música. Primeiro, porque não sou cantor. Segundo, porque foi gravada de forma muito rustica, na cozinha de casa e com o canto dos pássaros. Terceiro, porque a música é minha. Enfim, ouso publicá-la.

 

Ronaldo Sérgio

Meu bem!

Conto27

Rancho do Peregrino

Desata a quietude
a solidão e o medo
de estar só
e me faz tremeluzir
sentir sua espessura
abraçando-me.

Corre pela minha pele
tomando ondulante
todo amor
e arrasta o pavor
de ficar sem ti
sofrendo.

Que habites em ti
o que em mim habita
açolado de amor
e permite a leveza
que te ter encerra
meu bem.

Beija-me… beija-me…

Ronaldo Sérgio