Delicada

Conto36.JPG

Repousa aqui o seu canto
tão cedo acordada
fiando finuras em mim.
Sua delicada beleza
fascina-me tanto
cada dia é um trecho
devagar como a vida.
Percorro meu rosto
desenhado no espelho
e voo e canta em meu peito
a doçura de ser
longe da noite
debaixo da luz do sol
contigo ao amanhecer.

Foto e poema: Ronaldo Sérgio

Anúncios

Você e eu

Conto22

Foto do google

O que me une a ti
constrange-me sem resposta
são suas pequenas distrações
o susto repentino em seu olhar
o paladar que desenha meus sentidos
quando sinto o seu cheiro
e o viveiro de delicadezas
de toques e sussurros.

Sempre desejei amar assim
com aperto no peito
o cochicho ao pé do ouvido
e o pote cheio de carícias
derramando incompletas palavras
entre evasivas angústias de ficar só.

Irreal é o mundo
o tempo perdido no trabalho
a comida sem sabor
longe de ti, horas e horas
prisioneiro do agora
ocupado com sonhos
e tentando conter-me
para não gritar: te amo.

Ronaldo Sérgio