Tenebrosa beleza

7.08.2016 - 1

Diz-me,
tenebrosa beleza
o que escondes
tão longe de mim
vindo assombrar-me
com a força do vento.

Conta-me
terna escuridão
o que contigo trazes
revirada em mim
chegando assustar-me
na curva do tempo.

Figura-me
terrível encanto
se foi o amor, a dor ou a flor
que te deixaram assim
querendo aturdir-me
vazio dos sonhos.

Carrega-me
pois, carrega-me contigo
leva o que tens e o que tenho
não me deixes só no desamparo
sentado na praia
sofrendo minha dor.

Foto de Jale Elaj
Ronaldo Sérgio

Anúncios

Diante de ti!

1

Fotógrafo: Rivaldo M. de Faria

Diante de ti, tendo-te
em mim ó grandeza insuportável
nada me resta senão contemplá-la
e aqui dentro cravá-la ainda mais
como és, beleza insondável.

Contornas meu corpo e minha alma
meus pés tu acaricias
tão pequeno meu eu se perde em ti
mas não te perde e nem te perderia
teceste a imensidão em mim.

Jogaste-me longe, altura infinita,
aqui dentro de mim latejantes desejos
quisera eu morar contigo
onde moras, depois da última serra,
sem nunca saciar-me de ti.

Minha alma se enleva e se constrange,
tão grande em mim, tão quebrado por dentro
seu encanto fascina, abraçando-me
como sou, finura ínfima perto de ti,
contigo tão bela.

4

Fotógrafo: Rivaldo M. de Faria

Ronaldo Sérgio